Prefeitura retoma a construção da Academia Popular

0

Lenha pretende buscar a retomada de todas as obras inacabadas

A prefeitura municipal de Ingá retomou as obras da Academia Popular que havia sido iniciada na gestão anterior, porém abandonada transformando-se em mais uma obra inacabada. A construção está localizada na praça do Ginásio Poliesportivo O Carlão.

O prefeito Manoel da Lenha tomou providências no sentido de fazer um levantamento dos custos da obra e quanto restava de recursos para sua conclusão. Em seguida procurou a empresa responsável, Gama Engenharia, e foi feito um acordo para a conclusão da obra, que consiste numa Academia Popular ao ar livre com um prédio anexo de apoio contendo banheiros e vestiários. Segundo o engenheiro Antonio Lisboa o projeto arquitetônico é bonito contendo na fachada vidros blindex.

PROJETO ACADEMIA POPULAR

Para dar continuidade a obra foi necessário um entendimento com o comerciante Rogério do Cachorro Quente, que construiu uma estrutura dentro de uma área pública concedida ilegalmente pela gestão anterior, exatamente no terreno da obra. O comerciante compreendeu a situação e com ajuda de funcionários da secretaria de infraestrutura retirou todo o seu material, composto de estrutura de madeira e telhas de amianto.

Barraca de Rogério

O prefeito Manoel da Lenha esteve visitando o local em companhia do secretário de finanças, Pierre Jan e do secretário de infraestrutura, Martizalém Oliveira, Dem, junto com técnicos, engenheiro e responsável pela obra.

manoel e dem academia popular

OBRAS INACABADAS I

O prefeito falou que durante o ano de 2013, primeiro ano de sua gestão, deu prioridade em limpar o nome do município perante órgãos federais, recuperando o crédito e a possibilidade de realizar convênios, ao tempo em que melhorava o aspecto urbano da cidade, investindo na recuperação dos prédios públicos e praças da cidade.  Já neste ano de 2014, o prefeito Manoel da Lenha falou de sua satisfação em razão de que o Ingá atualmente realiza três importantes obras ao mesmo tempo: o ginásio esportivo no Jardim Farias, as casas populares no Conjunto Antonio Ananias e Academia Popular, além das obras de recuperação de calçamentos e logradouros realizados de forma contínua.

Manoel falou também de sua preocupação com as outras obras iniciadas e paralisadas na gestão anterior: os portais e creche.

O secretário Pierre informou que a obra dos portais tem um custo em torno de 195 mil reais, e  mais de 70% dos recursos do portal já foram pagos, sendo que a firma abandonou a obra. A princípio, verifica-se que os recursos restantes não são suficientes para a conclusão dos portais, mas a gestão busca-se uma solução para o problema junto a empresa responsável.

obras inacabadas ingá

Manoel da Lenha afirmou que, embora discorde do projeto dos portais de gosto duvidoso, que segundo sua opinião deixa uma aparência de que são tortos por defeito, sendo inclusive  motivo de piadas pelos visitantes que por ali passam, onde as pessoas de outros municípios soltam graças do tipo que o Ingá já começa torto desde a entrada. Mesmo assim, irá buscar uma solução junto a empresa responsável e estuda uma adaptação do projeto para melhorar seu visual. Além disso, inevitavelmente, para concluir o portal próximo ao hotel cruzeiro, a pista terá que ser interditada por um bom período naquele trecho. Manoel considerou a construção daqueles portais um desperdício de dinheiro público que poderiam se empregados em obras estruturantes como o saneamento básico da cidade que já poderia ter sido feito, e que ele tem lutado tanto para dar início também.

OBRAS INACABADAS II

 creche municipal paralisadas

A mesma situação enfrenta a obra da creche municipal iniciada na gestão anterior, através de convênio com o governo federal, e que também foi abandonada pela empresa responsável, Construtora Santarém. O engenheiro Saulo Burity afirmou que está sendo feito um levantamento do ponto onde a obra foi paralisada, o que falta concluir dentro das planilhas de custos e quanto de recursos serão necessários para a sua conclusão. A falta de continuidade destas obras prejudicaram sensivelmente o correto andamento dos convênios, prejudicando enormemente o município, além de exigir ultrapassar as enormes barreiras burocráticas para sua retomada.

Manoel da Lenha concluiu afirmando que além de dar continuidade as novas obras, buscará tornar possível a retomada de todas as obras  inacabadas para evitar ainda mais o desperdício do dinheiro público, sabendo que o prejuízo para o município já foi grande.

ASCOM

Compartilhe esta notícia!.

Comentários estão fechados.